Copa do mundo de futebol 2014: análise do impacto da receita e volume de vendas do comércio, dos serviços e da produção industrial nos estados brasileiros

Tatiane Salete Mattei, Gilmar Ribeiro de Mello

Resumo


O objetivo do estudo é verificar se a Copa do Mundo de Futebol 2014 impactou no volume de vendas e receita nominal do comércio varejista, na receita de serviços e na produção industrial nos estados brasileiros que foram e os que não foram sede dos jogos. É analisado o comportamento dessas variáveis no período de realização, e nos 20 e 3 meses anteriores e posteriores à Copa do Mundo. Foi utilizado o Teste t e Teste de Wilcoxon. Na comparação das variáveis no período de 20 e 3 meses antes e depois da Copa não se verificou grandes diferenças nos estados sede para os que não foram sede do evento. Com poucas exceções pode-se concluir que nos dois meses de realização do evento os valores da receita e volume de vendas do comércio varejista, receita de serviços e produção industrial se apresentaram menores comparados aos dois meses anteriores e posteriores. 

Palavras-chave


Indústria. Comércio. Serviços. Copa do Mundo.

Texto completo:

PDF

Referências


Bayar, O. Schaur G. (2014). The Impact of Visibility on Trade: Evidence from the World Cup. Review of International Economics, 22(4), 759-782. Recuperado em 20 de junho, 2016, de http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/roie.12125/abstract;jsessionid=BE2AB65321BAEC12B2D3A5AE1280F45C.f04t03?userIsAuthenticated=false&deniedAccessCustomisedMessage.

Carvalho, M. S. de. (2004). Absorção de mão-de-obra no setor de serviços brasileiro dos anos 90. Dissertação de Mestrado. Instituto de Economia da UNICAMP, Campinas, São Paulo, SP, Brasil. Disponível: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000339219.

Cleps, G. D. G. (2004). O comércio e a cidade: novas territorialidades urbanas. Revista Sociedade & Natureza, 16(30), 117-132. Recuperado em 15 de junho, 2016, de http://www.seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/viewFile/9183/5648.

Diniz, L. H. F. (2007). Distribuição e funcionalidades espaciais do setor terciário no Brasil 1991-2000. Dissertação de Mestrado.Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil. Disponível: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/MPBB-7WENPG.

Domingues, E. P., Betarelli Junior, A. A. & Magalhães, A. S. (2011). Quanto vale o show? Impactos econômicos dos investimentos da Copa do Mundo 2014 no Brasil. Estudos Econômicos, 41(2), 409-439. Recuperado em 16 de junho, 2016, de http://www.scielo.br/pdf/ee/v41n2/a08v41n2.

Fávero, L. P. Befiore, P. Silva, F. L. da & Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Campus.

Freire, A. L. O. (2010). O desenvolvimento do comércio e a produção do espaço urbano. GeoTextos, 6(2). Recuperado em 15 de junho, 2016, de http://www.portalseer.ufba.br/index.php/geotextos/about/contact.

Gadelha, C. A. G. (2006). Desenvolvimento, complexo industrial da saúde e política industrial. Revista de saúde pública, 40(edição especial), 11-23. Recuperado em 15 de junho, 2016, de http://www.scielosp.org/pdf/rsp/v40nspe/30617.pdf.

Glória Junior, I. (2015). A Copa do Mundo de 2014 na perspectiva da tríplice restrição: uma Copa sem gols. Podium Sport, Leisure and Tourism Review, 4(2), 17-28. Recuperado em 16 de junho, 2016, de https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5190973.

Krugman, P. & Wells, R. (2007). Introdução à economia. Rio de Janeiro: Elsevier.

Kureski, R. & Delgado, P. R. (2012). A importância do setor de serviços no Estado do Paraná. Revista Paranaense de Desenvolvimento-RPD, vol. 118, 139-158. Recuperado em 10 de junho, 2016, de http://www.ipardes.pr.gov.br/ojs/index.php/revistaparanaense/article/view/135/643.

Mariano, J. (2007). Marketing structure and the tendencies towards business activity. Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM), 55-64. Recuperado em 13 de junho, 2016, www.revistaiberoamericana.org/ojs/index.php/ibero/article/view/14.

Mankiw, N. G. (2001). Introdução à economia: princípios de Micro e Macroeconomia (M. J. C. Monteiro Trad., 2a ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.

Pace, T. H., Hardt, L. P. A. & Figueiredo, F. de C. (2015). SPORTING MEGA-EVENTS AND TOURISM: Bibliometric Relationships in Academia. Business and Management Review, 4(12). Recuperado em 21 de junho, 2016, de http://www.businessjournalz.org/Brazil%20Special%20Edition/SI%20May,%202015/BMR(00118)-V4-N12-May-2015-SI-VII-03.pdf.

Porto, L. P. & Ceron, L. F. (2013). Brasil. Copa do Mundo 2014: análise dos impactos ambientais, econômicos e sociais. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM, vol. 8, 437-446. Recuperado em 16 de junho, 2016, de http://periodicos.ufsm.br/index.php/revistadireito/article/view/8346#.V2MKW7srLIU.

Ribeiro, C. H. de V., Soares, A. J. G. & Dacosta, L. P. (2014). Percepção sobre o legado dos megaeventos esportivos no Brasil: O caso da Copa do Mundo FIFA 2014 e os jogos olímpicos Rio 2016. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 36(2), 447-466. Recuperado em 15 de junho, 2016, de http://oldarchive.rbceonline.org.br/index.php/RBCE/article/view/1249.

Scandelai, A. L. de O. (2010). A precarização do trabalho: da revolução industrial ao neoliberalismo. Colloquium Humanarum, 7(1), 21-31. Recuperado em 10 de junho, 2016, de http://revistas.unoeste.br/revistas/ojs/index.php/ch/article/viewArticle/340.

Ugarte, M. C. D. (2004). Homo motor, ciborgues e... aha! Pessoas–Da revolução industrial à revolução da informação. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação Física da Unicamp, Campinas, SP, Brasil. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000348673&fd=y.




DOI: http://dx.doi.org/10.20397/2177-6652/2017.v17i1.1072

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Gestão & Tecnologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.