VIABILIDADE ECONÔMICA E FINANCEIRA NA PRODUÇÃO DE UVA POR CONDUÇÃO EM ESPALDEIRA VERSUS LATADA: ESTUDO DE CASO NA SERRA GAÚCHA

Simone Barp Pegoraro, Maria Teresa Martiningui Pacheco, Oderson Panosso, Eliete Maria Scopel

Resumo


O objetivo foi identificar os custos de condução do método latada na produção de uvas em uma propriedade da serra gaúcha e verificar a viabilidade econômico-financeira da implantação de um hectare, avaliando pelos dois métodos de condução: espaldeira e latada. A metodologia consistiu em um estudo de caso, com abordagem do problema de forma quantitativa. Os principais resultados demonstraram o custo total da última safra na condução latada, por hectare em R$ 14.194,25. Atualmente a atividade obtém uma lucratividade de 35,13% com os atuais 3 hectares de videiras na condução latada. Na avaliação de mais um hectare identificou-se que a modalidade produzida pelo sistema em espaldeira não é o mais rentável. Esse sistema de condução é mais indicado para uvas finas com finalidade de vinhos e espumantes. Na projeção foi obtido lucro de R$ 6.229,21, somente no sétimo ano. Já, o método de condução latada, é aconselhado para a produção de uvas para suco, visando quantidade; foi constatado maior lucro, que no sétimo ano, alcançou o valor de R$ 11.385,04.


Palavras-chave


Sistemas de condução. Latada e Espaldeira. Contabilidade de Custos. Rentabilidade. Lucratividade.

Texto completo:

PDF

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia