Technological adoption perception and background by small rural producers in state of Ceará: a scale construction

Michelle do Carmo Sobreira, Tereza Cristina Lacerda Gomes, Felipe Gerhard, Samuel Façanha Câmara

Resumo


Objetivo: este estudo tem como objetivo analisar os antecedentes da adoção de inovações tecnológicas por pequenos produtores de caprinocultura, além da elaboração e validação de uma escala de percepção dos fatores determinantes desta adoção por esses pequenos produtores rurais.

Metodologia: a pesquisa caracteriza-se como quali-quanti, visto que contou com desenvolvimento de medidas de escala, com especificação do domínio dos construtos, geração de itens, validação de conteúdo e construção do instrumento de pesquisa a partir da literatura existente; e com survey, técnicas de Análise Fatorial Exploratória, Análise de Variância (ANOVA) e Regressão Linear Múltipla.

Originalidade: primeiro, amplia a compreensão do comportamento dos pequenos produtores rurais no processo de transferência de tecnologias e, segundo, contribui com a construção e validação de uma escala de adoção tecnológica, que permitirá a realização de no estudos sobre a transferência de tecnologia na agropecuária.

Principais Resultados: os resultados demonstram a relação existente entre a capacidade absortiva com o nível de adoção tecnológica e fatores comportamentais. Do mesmo modo, revelam que os fatores comportamentais apresentam influência no nível de adoção tecnológica.

Contribuições teóricas: a literatura em inovação tem negligenciado o papel do fator capacidade absortiva na transferência de tecnologia de pequenos produtores rurais. Buscando-se atender essa lacuna, este estudo avança em relação à literatura existente.

Adoção tecnológica por pequenos produtores rurais brasileiros


Palavras-chave


Adoção tecnológica; Produtores rurais; Desenvolvimento de escala; Agropecuária

Texto completo:

PDF

Referências


Ajzen, I. (1991). The theory of planned behavior. Organizational behavior and human decision processes, 50(2), 179-211.

Alexander, D., Lynch, J., & Wang, Q. (2008). As time goes by: do cold feet follow warm intentions for really new versus incrementally new products? Journal of Marketing Research, 45(3), 307-319.

Alves, E., Santana, C., & Contini, E. (2016). Extensão Rural: Seu Problema Não é a Comunicação. In Vieira Filho, J. & Gasques, J. (Orgs.). Agricultura, Transformação Produtiva e Sustentabilidade. Brasília: IPEA.

Atrasas, A., Sacomano, J., & De Lorenzo, H. (2012). Redes de empresas: transferência de tecnologia para o agronegócio – o caso EMBRAPA. FACEF Pesquisa-Desenvolvimento e Gestão, 15(1), 21-33.

Boozeman, B. (2000). Technology transfer and public policy: a review of research and theory. Research Policy, 29(4-5), 627-655.

Braga, E., Pio, M., & Antunes, A. (2009). O processo de transferência de tecnologia na indústria têxtil. Journal of technology management & innovation, 4(1), 125-133.

Cassano, F., Silva, A., Souza, J., Frias, L., Carneiro, L., & Freitas, M. (2013). A transferência tecnológica na internacionalização de empresa brasileira do setor de máquinas e implementos agrícolas em mercado internacional competitivo: um estudo de caso da empresa Jacto S/A. Revista de Economia Mackenzie, 10(1), 10-38.

Cassol, A., Gonçalo, C., Santos, A., & Ruas, R. (2016). A administração estratégica do capital intelectual: um modelo baseado na capacidade absortiva para potencializar inovação. Iberoamerican Journal of Strategic Management, 15(1), 27-43.

Cassol, A., Zapalai, J., & Cintra, R. (2017). Capacidade absortiva como propulsora da inovação em empresas incubadas de Santa Catarina. Revista Ciências Administrativas, 23(1), 9-41.

Cavalcante, F. V., Almeida, M. B. C., & Renault, T. B. (2019). Intervenientes dos processos de transferência tecnológica em uma instituição de ciência e tecnologia: o caso FIOCRUZ. Revista Gestão & Tecnologia, 19(2), 217-239.

Chakravarty, S., & Dubinsky, A. (2005). Individual investors' reactions to decimalization: Innovation diffusion in financial markets. Journal of Economic Psychology, 26(1), 89-103.

Closs, L., & Ferreira, G. (2012). A transferência de tecnologia universidade-empresa no contexto brasileiro: uma revisão de estudos científicos publicados entre os anos 2005 e 2009. Gestão e Produção, 19(2), 419-432.

Cohen, W., & Levinthal, D. (1990). Absorptive capacity: A new perspective on learning and innovation. Administrative science quarterly, 35(1), 128-152.

Costa, F. (2011). Mensuração e Desenvolvimento de Escalas: Aplicações em Administração. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna.

Dereti, R. (2009). Transferência e validação de tecnologias agropecuárias a partir de instituições de pesquisa. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 19, 29-40.

Dos Santos, M., & Torkomian, A. (2013). Technology transfer and innovation: The role of the Brazilian TTOs. International Journal of Technology Management & Sustainable Development, 12(1), 89-111.

Ferreira, G., & Ferreira, J. (2017). Absorptive capacity: An analysis in the context of brazilian family firms. Mackenzie Management Review, 18(1), 174-204.

Greenhalgh, T., Robert, G., Macfarlane, F., Bate, P., & Kyriakidou, O. (2004). Diffusion of innovations in service organizations: systematic review and recommendations. The Milbank Quarterly, 82(4), 581-629.

Grol, R., Bosch, M., Hulscher, M., Eccles, M., & Wensing, M. (2007). Planning and studying improvement in patient care: the use of theoretical perspectives. The Milbank Quarterly, 85(1), 93-138.

Hair, J., Black, W., Babin, B., Anderson, R., & Tatham, R. (2009). Análise multivariada de dados. Bookman Editora.

Hinkin, T. (2005). Scale development principles and practices. In Swanson, R. & Holton, E. (Orgs.). Foundations and methods of inquiry. San Francisco: Berret-Foehler Publichers.

Holt, D. (2002). Why do brands cause trouble? A Dialectical Theory of Consumer Culture and Branding. Journal Of Consumer Research, 29, 70-90.

Iervolino, S. & Pelicioni, M. (2001). A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 35(2), 115-21.

Kapoor, K., Dwivedi, Y., & Williams, M. (2014). Rogers’ innovation adoption attributes: A systematic review and synthesis of existing research. Information Systems Management, 31(1), 74-91.

Lane, P., Koka, B., & Pathak, S. (2006). The reification of absorptive capacity: A critical review and rejuvenation of the construct. Academy of management review, 31(4), 833-863.

Lee, A., Wang, W., & Lin, T. (2010). An evaluation framework for technology transfer of new equipment in high technology industry. Technological Forecasting and Social Change, 77(1), 135-150.

Lee, M. (2009). Factors influencing the adoption of internet banking: An integration of TAM and TPB with perceived risk and perceived benefit. Electronic commerce research and applications, 8(3), 130-141.

Lee, M., Cheung, C., & Chen, Z. (2005). Acceptance of Internet-based learning medium: the role of extrinsic and intrinsic motivation. Information & management, 42(8), 1095-1104.

Lichtenthaler, U., & Lichtenthaler, E. (2009). A capability‐based framework for open innovation: Complementing absorptive capacity. Journal of management studies, 46(8), 1315-1338.

Mussi, F., Scherer, L., & Stoeckl, K. (2016). Análise do processo de transferência de tecnologia: o caso da UEG Araucária. Revista GEINTEC-Gestão, Inovação e Tecnologias, 6(3), 3422-3436.

Mytelka, L., & Farinelli, F. (2005). De Aglomerados Locais a Sistemas de Inovação. In Lastres, H. et al. (Org.). Conhecimento, Sistemas de Inovação e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ/Contraponto.

Netmeyer, R., Bearden, W., & Sharma, S. (2003). Scaling Procedures: Issues and Applications. Thousand Oaks: Sage Publications, 2003.

Paternolli, A. & Cancellier, E. (2017). Capacidade de absorção e inovação em empresas de pequeno porte. Revista Alcance, 24(1), 50-65.

Penteado Filho, R. (2010). Diagnóstico e propostas de soluções para a transferência de tecnologia numa empresa pública de pesquisa agropecuária: o caso Embrapa. PRISMA.COM, (11), 86-102.

Perez, G., & Zwicker, R. (2010). Fatores determinantes da adoção de sistemas de informação na área de saúde: um estudo sobre o prontuário médico eletrônico. Revista de Administração Mackenzie, 11(1).

Rogers, E., Takegami, S., & Yin, J. (2001). Lessons learned about technology transfer. Technovation, 21(4), 253-261.

Rogers, E. (2003). Diffusion of innovations. Fifth edition. New York: Free Press.

Souza Filho, H., Buainain, A., Silveira, J., & Vinholis, M. (2011). Condicionantes da adoção de inovações tecnológicas na agricultura. Cadernos de Ciência & Tecnologia, 28(1), 223-255.

Sznitowski, A., & Souza, Y. S. (2016). Capacidade de assimilação de conhecimentos e tecnologias no setor primário: estudo de casos em grandes propriedades rurais produtoras de soja. Organizações Rurais & Agroindustriais, 18(2), 171-185.

Teixeira, I. et al. (2013). Inovações tecnológicas na caprinocultura. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, 14(1), 104-120.

Todorova, G., & Durisin, B. (2007). Absorptive capacity: Valuing a reconceptualization. Academy of management review, 32(3), 774-786.

Vieira Filho, J. (2016). A fronteira agropecuária brasileira: redistribuição produtiva, efeito poupa-terra e desafios estruturais logísticos. In Vieira Filho, J. & Gasques, G. (Orgs.). Agricultura, Transformação Produtiva e Sustentabilidade. Brasília: IPEA, 2016.

Vivek, S., Beatty, S., Dalela, V., & Morgan, R. (2014). A generalized multidimensional scale for measuring customer engagement. Journal of Marketing Theory and Practice, 22(4), 401-420.

Volberda, H., Foss, N., & Lyles, M. (2010). Perspective—Absorbing the concept of absorptive capacity: How to realize its potential in the organization field. Organization science, 21(4), 931-951.

Zahra, S., & George, G. (2002). Absorptive capacity: A review, reconceptualization, and extension. Academy of management review, 27(2), 185-203.




DOI: https://doi.org/10.20397/2177-6652/2021.v21i2.1897

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Revista Gestão & Tecnologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.