Satisfação no trabalho: Estudo longitudinal em uma Organização Pública de Ensino Superior

Jefferson Lopes La Falce, Aline De Paula Martins, Cristiana Fernandes De Muylder, Daniel Jardim Pardini

Resumo


Objetivo: O objetivo foi analisar a evolução do nível de satisfação no trabalho dos servidores públicos de uma Instituição de Ensino Superior nos anos de 2016 e 2018, anos que tratam de mudança de carga horária na organização.

Originalidade/Lacuna: Em pesquisa bibliometrica realizada na base SPELL com os termos “satisfação no trabalho”, “organização pública” e “longitudinal”, não foram encontrados estudos sobre o tema.

Aspectos metodológicos: Foi realizada uma pesquisa de campo, com abordagens quantitativa e qualitativa. Os dados foram obtidos por meio de questionários utilizando a Escala da Satisfação no Trabalho (Siqueira, 2008), aplicados aos servidores públicos da organização na cidade de Belo Horizonte nos anos de 2016 e 2018. Utilizou-se ainda 6 entrevistas para entender os fatores que estariam influenciando a alteração da satisfação.

Síntese dos resultados: Os dois anos de pesquisa resultaram em indiferença por parte dos funcionários públicos. Porém, em 2018 as dimensões de satisfação com o salário, com a chefia e as promoções resultaram em insatisfação, diferentemente do primeiro ano em que os funcionários se demonstraram indiferentes em todas dimensões. A maioria dos participantes alegou que a mudança de horário implementada na instituição foi o motivador da insatisfação.

Principais considerações: É importante que gestores tenham uma visão da variação da satisfação de seus funcionários utilizando estudos longitudinais, visto que contribuem para reduzir os impactos de políticas de gestão que podem ocorrer devido à diminuição da satisfação dos funcionários, como diminuição da produtividade, rotatividade, absenteísmo, dentre outros.

Palavras-chave


Satisfação no trabalho; Triangulação; Estudo longitudinal; Instituição Pública de Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Agapito, P. R.; Santos, C. B. D.; Alves, C. H.; Sá, C. R. C. B.; & Santos, H. R. D. (2014). Análise da satisfação no trabalho e do cumprimento dos contratos psicológicos dos profissionais da Região do ABC Paulista. Revista Eletrônica Gestão e Serviços, 5(1), 766-786.

Almeida, D. M.; Lopes, L. F. D.; Costa, V. M. F.; & Santos, R. C. T. D. (2018). Policiais Militares do Estado do RS: Relação entre Satisfação no Trabalho e Estresse Ocupacional. Administração Pública e Gestão Social, 10(1), 55-65.

Almeida, D. M.; Tomazzoni, G. C.; Santos, A. S. D.; Rodrigues, G. O.; & Simonetto, E. O. (2017). Análise de Cenários Envolvendo Satisfação no Trabalho e Estresse Ocupacional por meio da Dinâmica de Sistemas. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 9(1), 78-94.

Andrade, C. R.; Pereira, L. Z.; & Ckagnazaroff, I. B. (2007). Elementos de satisfação e insatisfação no trabalho operacional: revisitando Herzberg. Revista Gestão & Tecnologia, 7(1), 67-89.

Andrade, T.; Costa, V. F.; Estivalete, V. F. B.; & Lengler, L. (2017). Comportamento de Cidadania Organizacional: Um Olhar à Luz dos Valores e da Satisfação no Trabalho. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 19(64), 236-262.

Andrade, T.; Limana, S.; Estivalete, V. F. B.; & Tanscheit, F. (2013). Cultura organizacional e satisfação no trabalho sob a percepção dos colaboradores de uma instituição bancária após o processo de fusão. Revista Administração em Diálogo, 15(2), 52-78.

Beuren, I. M.; Santos, V. D.; Marques, L.; & Resendes, M. (2017). Relação entre Percepção de Justiça Organizacional e Satisfação no Trabalho. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 11, 69-86.

Campos, C. V. A.; & Malik, A. M. (2008). Satisfação no trabalho e rotatividade dos médicos do Programa de Saúde da Família. Revista de Administração Pública, 42(2), 347-368.

Cappi, M. N.; & Araujo, B. F. V. B. (2015). Satisfação no Trabalho, Comprometimento Organizacional e Intenção de Sair: um Estudo Entre as Gerações X e Y. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 21(3), 576-600.

Celani-Chnee, P. C. (2000). Trabalho e mudanças na organização. Pensamento & Realidade, 7(1), 3-14.

Correa, R.; Camelo, S. H. H.; & Leal, L. A. (2017). Satisfação no Trabalho dos Bancários e seus Fatores Determinantes – Uma Revisão Integrativa . Revista Economia & Gestão, 17(47), 65-84.

Demo, G.; Martins, P. R.; & Roure, P. (2013). Políticas de gestão de pessoas, comprometimento organizacional e satisfação no trabalho na Livraria Cultura. Revista Alcance, 20(2), 237-254.

Feitosa, L. V. D. S., & Costa, C.E.S.D. (2016). Inovações no setor público: A resistência à mudança e o impacto causado no comportamento do indivíduo. Anais do V SINGEP. São Paulo.

Ferreira, C. A. (2016). A.Percepção da Motivação e Satisfação no Trabalho pelos Trabalhadores de uma Instituição Psiquiátrica no Brasil. Revista Capital Científico - Eletrônica, 14(2), 25-41.

Freire, J. R. (1999). Comprometimento organizacional e satisfação no trabalho: uma análise da gestão de recursos humanos. Revista Administração em Diálogo, 1(1), 1-19.

Gajderowicz, T.; Grotkowska, G.; & Wincenciak, L. (2014). Graduates’ job satisfaction across domains of study. International Journal of Manpower, 35(4), 470-499.

Handel, M. J. (2005). Trends in Perceived Job Quality, 1989 to 1998. Work and occupations, 32(1), 66-94.

La Falce, J. L.; Paiva, K. C. M.; Muylder, C. F.; & Morais, M. M. D. S. (2017). Organizational Commitment: Longitudinal Study in a Public Higher Education Organization. Revista de Administração Mackenzie, 18(6), 124-148.

Leal, P. H.; Costa, B. M. N.; Cabral, A. C. A.; Santos, S. M. D.; & Pessoa, M. N. M. (2015). Satisfação no Trabalho: um Estudo na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. RAUnP - Revista Eletrônica do Mestrado Profissional em Administração da Universidade Potiguar, 7(2), 106-120.

Lima, A. J.; Zille, L. P.; & Soares, M. G. (2015). Um Olhar sobre a Satisfação no Trabalho: estudo em Organização Multinacional do Setor de Usinagem no Estado de Minas Gerais. Revista Gestão & Planejamento, 16(3), 310-325.

Linz, S. J. (2003). Job satisfaction among Russian workers. International Journal of Manpower, 24(6), 626-652.

Lizote, S. A.; Verdinelli, M. A.; & Nascimento, S. (2017). Relação do Comprometimento Organizacional e da Satisfação no Trabalho de Funcionários Públicos Municipais. Revista de Administração Pública, 51(6), 947-967

Marques, A. L.; Borges, R.; & Reis, I. C. (2016). Mudança organizacional e satisfação no trabalho: um estudo com servidores públicos do estado de Minas Gerais. Rev. Adm. Pública, 50(1), 41-58.

Marqueze, E. C.; & Moreno, C. R. C. (2005). Satisfação no trabalho - uma breve revisão. Rev. bras. saúde ocup., 30(112), 69-79.

Morgan, R.; Mcdonagh, P.; & Morgan, T. R. (1995). Employee job satisfaction: an empirical assessment of marketing managers as an occupationally homogeneous group, Journal of Managerial Psychology, 10(2), 10-17.

Murad, M. M. I.; Zayed, N. M.; & Mukul, A. Z. A. (2013). A study on job satisfaction: focus on bankers of Bangladesh. European Journal of Business and Management, 5(17), 14-20.

Nodari, C. H.; Bó, G. D.; & Camargo, M. E. (2010). Turnover e satisfação no trabalho em empresas multinacionais: um estudo de caso. Revista de Administração da Unimep, 8(2), 1-16.

Oshagbemi, T. (1997). Job satisfaction profiles of university teachers. Journal of Managerial Psychology, 12(1), 27-39.

Oshagbemi, T. (1999). Overall job satisfaction: how good are single versus multipleitem measures? Journal of Managerial Psychology, 14(5), 388-403.

Oshagbemi, T.; & Hickson, C. (2003). Some aspects of overall job satisfaction: a binomial logit model. Journal of Managerial Psychology, 18(4), 357-367.

Palomino, M. N.; & Frezatti, F. (2016). Role conflict, role ambiguity and job satisfaction: Perceptions of the Brazilian controllers. Revista de Administração, 51(2), 165-181.

Pauli, J.; Tomasi, M.; Gallon, S.; & Coelho, E. (2017). Satisfação, Conflitos e Engajamento no Trabalho para Professores do Ensino Médio. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 11(4), 72-85.

Penha, E. D. D. S.; Rebouçasa, S. M. D. P.; Abreua, M. C. S.; & Parente, T. C. (2016). Percepção de responsabilidade social e satisfação no trabalho: um estudo em empresas brasileiras. Revista de Gestão, 23(4), 306-315.

Pinto, V. R. R.; & Mariano, S. (2011). Satisfação no trabalho dos gestores escolares. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 5(2), 110-125.

Silva, L. P.; Castro, M. A. R.; & Dos-Santos, M. G. (2018). Influência da Cultura Organizacional Mediada pelo Assédio Moral na Satisfação no Trabalho. Revista de Administração Contemporânea, 22(2), 249-270.

Siqueira, M. M. M. (2008). Medidas do Comportamento Organizacional: Ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre, Bookman.

Tamayo, A. (1998). Valores organizacionais: sua relação com satisfação no trabalho, cidadania organizacional e comprometimento afetivo. Revista de Administração, 33(3), 56-63.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, Atlas.

Vergara, S. C. (2016). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. (16a ed), São Paulo, Atlas.




DOI: https://doi.org/10.20397/2177-6652/2020.v20i4.1535

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista Gestão & Tecnologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.