Incorporando julgamentos de especialistas em educação na avaliação da eficiência de cursos de graduação: uma abordagem por data envelopment analysis

Alexandre de Cássio Rodrigues, Tiago Silveira Gontijo

Resumo


Estudos recentes têm utilizado modelos clássicos de Data Envelopment Analysis (DEA) para avaliar a eficiência de cursos de graduação. Uma particularidade dos modelos clássicos de DEA é a atribuição de pesos aos inputs e outputs de acordo com a melhor contribuição que estes possam oferecer. Esta flexibilidade faz com que pesos baixos sejam atribuídos às variáveis nas quais as DMUs tenham pior desempenho, mesmo que estas sejam importantes segundo o julgamento de especialistas da área. Assim, o objetivo deste artigo foi desenvolver um modelo DEA que na avaliação da eficiência de cursos de graduação incorpora os julgamentos de especialistas em educação. Para isso, através de restrições aos pesos, incorporaram-se a um modelo DEA clássico os julgamentos de especialistas em educação sobre a importância dos outputs e inputs usados para calcular o Conceito Preliminar de Curso (CPC), o indicador oficial de qualidade dos cursos brasileiros de graduação. A seguir, usou-se o modelo para avaliar a eficiência de 26 cursos de graduação em Administração Pública em 2015. Verificou-se que o modelo proposto classificou três daqueles cursos como eficientes enquanto que o modelo DEA clássico classificou 14. Ou seja, o modelo proposto evitou equívocos na avaliação ao impedir que cursos, a priori, ineficientes fossem classificados como eficientes. Apurou-se ainda que tenderam a ser eficientes os cursos ofertados por instituições federais e com maiores CPC e número de alunos.


Palavras-chave


Eficiência no Ensino Superior; Data Envelopment Analysis; Julgamentos de Especialistas.

Texto completo:

PDF

Referências


Allen, R., Athanassopoulos, A., Dyson, R. G., & Thanassoulis, E. (1997). Weights restrictions and value judgements in data envelopment analysis: evolution, development and future directions. Annals of operations research, 73, 13-34.

Andrade, E. C. (2011). Rankings em educação: tipos, problemas, informações e mudanças. Estudos Econômicos (São Paulo), 41(2), 323-343.

Al-Shayea, A. S., & Battal, A. H. (2013). Evaluating the efficiency of faculties in Qassim University using Data Envelopment Analysis. Journal of Business Administration and Education, 4(2).

Azevedo, L. A. D. (2016). Mensurando e avaliando a eficiência dos gastos nos cursos de graduação da UnB.

Banker, R. D., Charnes, A., & Cooper, W. W. (1984). Some models for estimating technical and scale inefficiencies in data envelopment analysis. Management science, 30(9), 1078-1092.

Banker, R. D., & Natarajan, R. (2008). Evaluating contextual variables affecting productivity using data envelopment analysis. Operations research, 56(1), 48-58.

Barreyro, G. B., & Rothen, J. C. (2014). Percurso da avaliação da educação superior nos Governos Lula. Educação e Pesquisa, 40(1).

Bertolin, J. C. G., & Marcon, T. (2014). O (des) entendimento de qualidade na educação superior brasileira: das quimeras do provão e do Enade à realidade do capital cultural dos estudantes. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 20(1).

Bittencourt, R. H., Viali, L., Morais Rodrigues, A. C. D., & Oliveira Casartelli, A. D. (2010). Mudanças nos pesos do CPC e seu impacto nos resultados de avaliação em universidades federais e privadas. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 15(3).

Botello, A. J., Chaparro Salinas, E. M., & Reyes Pérez, D. E. (2015). Estudio de la Satisfacción de los Estudiantes con los Servicios Educativos brindados por Instituciones de Educación Superior del Valle de Toluca. REICE. Revista Electrónica Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación.

Brasil. (1988). Constituição da república Federativa do Brasil. Senado Federal, Brasilia, DF: Centro Gráfico.

______. (2014). 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação-PNE e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Brasília.

CASADO, F. L., & SILUK, J. C. M. (2012). Aferição da eficiência técnica em cursos de Engenharia de Produção do Brasil. XXXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Anais..., Bento Gonçalves/RS.

Charnes, A., Cooper, W. W., & Rhodes, E. (1979). Measuring the efficiency of decision-making units. European journal of operational research, 3(4), 339.

Coelho, É. D. O. P. (2016). O Papel das Variáveis na Eficiência da nota Enade dos Cursos de Engenharia de Produção nas Instituições Públicas de Ensino Superior.

Coelho, S. F. (2008). A problemática atual do ensino de graduação em administração pública no Brasil. Cadernos EBAPE. BR.

Cook, W. D., Tone, K., & Zhu, J. (2014). Data envelopment analysis: Prior to choosing a model. Omega, 44, 1-4.

Emrouznejad, A., & Yang, G. L. (2018). A survey and analysis of the first 40 years of scholarly literature in DEA: 1978–2016. Socio-Economic Planning Sciences, 61, 4-8.

Färe, R., Grosskopf, S., & Margaritis, D. (2015). Advances in Data Envelopment Analysis.

FERREIRA, C. M. D. C. F. (2009). Introdução à análise envoltória de dados: teoria, modelos e aplicações. UFV.

Fonseca, S. A., Capella, A. C. N., & Pires, V. (2011). Um curso em quatro tempos: Administração Pública da FCL-UNESP. Temas de Administração Pública, 2(6).

Greene, W. H. (1981). On the asymptotic bias of the ordinary least squares estimator of the Tobit model. Econometrica: Journal of the Econometric Society, 505-513.

______. (2008). The econometric approach to efficiency analysis. The measurement of productive efficiency and productivity growth, 1(1), 92-250.

Hoff, A. (2007). Second stage DEA: Comparison of approaches for modelling the DEA score. European Journal of Operational Research, 181(1), 425-435.

Ikuta, C. Y. S. (2016). Sobre o Conceito Preliminar de Curso: concepção, aplicação e mudanças metodológicas. Estudos em Avaliação Educacional, 27(66), 938-969.

Inep .(2013). Instituto Nacional de Estudos. e Pesquisas Anísio Teixeira. Nota técnica. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de graduação.

______. (2017a) Conceito Preliminar de Curso (CPC). Disponível em: < http://portal.inep.gov.br/conceito-preliminar-de-curso-cpc->. Acesso em: out. 2017.

______. (2017b). Nota técnica n. 38/2017. Brasília, DF.

Johnes, G., & Tone, K. (2017). The efficiency of Higher Education Institutions in England revisited: comparing alternative measures. Tertiary Education and Management, 23(3), 191-205.

Johnes, G., & Tone, K. (2017). The efficiency of Higher Education Institutions in England revisited: comparing alternative measures. Tertiary Education and Management, 23(3), 191-205.

Lacerda, L. L. V., & Ferri, C. (2015). Relações entre indicadores de qualidade de ensino e desempenho de estudantes dos cursos de Pedagogia do Brasil no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 96(242).

Lavor, J. F., Andriola, W. B., & Lima, A. S. (2015). Avaliando o impacto da qualidade da gestão acadêmica no desempenho dos cursos de graduação. Um estudo em Universidade pública Brasileira. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, 8(2), 233-254.

Li, Y., Lei, X., Dai, Q., & Liang, L. (2015). Performance evaluation of participating nations at the 2012 London Summer Olympics by a two-stage data envelopment analysis. European Journal of Operational Research, 243(3), 964-973.

Liu, J. S., Lu, L. Y., & Lu, W. M. (2016). Research Fronts and Prevailing Applications in Data Envelopment Analysis. In Data Envelopment Analysis (pp. 543-574). Springer, Boston, MA.

Liu, J. S., Lu, L. Y., Lu, W. M., & Lin, B. J. (2013). A survey of DEA applications. Omega, 41(5), 893-902.

Liu, W., Sharp, J., & Wu, Z. (2006). Preference, production and performance in data envelopment analysis. Annals of Operations Research, 145(1), 105-127.

Longo, G. A., & de Castro Araújo, D. A. (2010). Contexto histórico da avaliação educacional no ensino superior. ANAIS DO SCIENCULT, 1(3).

Loureiro, V. C. A., Machado, D. G., & Longaray, A. A. Eficiência nas Universidades Brasileiras: uma análise das publicações da base de dados da CAPES e da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD).

Martins, R. A. A., Martins, R. N., & Uchoa, J. W. M. (2017). Avaliação institucional do ensino superior: os avanços propostos pelo SINAES (Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior). Revista de Estudos Pedagógicos do Cariri, 1(3), 25-35.

McDonald, J. (2009). Using least squares and tobit in second stage DEA efficiency analyses. European Journal of Operational Research, 197(2), 792-798.

Mec. (2014). Resolução n. 1, de 13 de janeiro de 2014. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Administração Pública, bacharelado, e dá outras providências. Brasília/DF.

Mello, J. C. C. B. S., Meza, L. A., Gomes, E. G., Serapião, B. P., & Lins, M. P. E. (2003). Análise de envoltória de dados no estudo da eficiência e dos benchmarks para companhias aéreas brasileiras. Pesquisa Operacional, 23(2), 325-345.

Moreira, N. P., da Silveira Cunha, N. R., Ferreira, M. A. M., & Silveira, S. D. F. R. (2010). Fatores determinantes da eficiência dos programas de pós-graduação acadêmicos em administração, contabilidade e turismo. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 16(1).

Motta, P. R. D. M. (2013). O estado da arte da gestão pública. Revista de Administração de Empresas, 53(1), 82-90.

Nazarko, J., & Šaparauskas, J. (2014). Application of DEA method in efficiency evaluation of public higher education institutions. Technological and Economic development of Economy, 20(1), 25-44.

Roll, Y., Cook, W. D., & Golany, B. (1991). Controlling factor weights in data envelopment analysis. IIE transactions, 23(1), 2-9.

Schwartzman, S. (2008). O “conceito preliminar” e as boas práticas de avaliação do ensino superior. Revista da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, (38), 9-32.

Silva, J. S., Corrêa, C. R., & Gomes, A. P. (2017). Determinantes da eficiência dos programas de pós-graduação em Economia do Brasil. Reflexões Econômicas, 2(2), 55-75.

Simar, L., & Wilson, P. W. (2011). Two-stage DEA: caveat emptor. Journal of Productivity Analysis, 36(2), 205.

Soliman, M., Mairesse Siluk, J. C., Neuenfeldt Júnior, A. L., & Casado, F. L. (2017). AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA TÉCNICA DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 10(2).

Tavares, R. S., & Meza, L. A. (2017). Uso da análise envoltória de dados para a avaliação da eficiência em cursos de graduação: um estudo de caso em uma Instituição de Ensino Superior brasileira. Revista Espacios, 38(20).

Tcu. (2010). Tribunal De Contas Da União. Manual de Auditoria Operacional. Brasília : TCU, Secretaria de Fiscalização e Avaliação de Programas de Governo (Seprog), 2010.

Thanassoulis, E., Portela, M. C., & Allen, R. (2004). Incorporating value judgments in DEA. In Handbook on data envelopment analysis (pp. 99-138). Springer, Boston, MA.

Thompson, R. G., Langemeier, L. N., Lee, C. T., Lee, E., & Thrall, R. M. (1990). The role of multiplier bounds in efficiency analysis with application to Kansas farming. Journal of econometrics, 46(1-2), 93-108.

Wong, Y. H., & Beasley, J. E. (1990). Restricting weight flexibility in data envelopment analysis. Journal of the Operational Research Society, 41(9), 829-835.

Zhu, J. (2014). Quantitative models for performance evaluation and benchmarking: data envelopment analysis with spreadsheets (Vol. 213). Springer.




DOI: https://doi.org/10.20397/2177-6652/2019.v19i1.1380

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Gestão & Tecnologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.