Teoria da agência e terceirização: uma proposta de modelo teórico para contratação e gerenciamento de serviços de tecnologia da informação

Ronalty Oliveira Rocha, Maria Conceição Melo Silva Luft, Maria Elena Leon Olave, Florence Cavalcanti Heber Pedreira De Freitas

Resumo


Nem todas as organizações estão técnica e gerencialmente aptas a extrair potencialidades e alcançar reais benefícios pelo uso da tecnologia da informação (TI), principalmente no tocante ao gerenciamento de serviços de tecnologia da informação. Nesse contexto, ganha expressividade os relacionamentos obtidos com a terceirização da TI, todavia esses relacionamentos oferecem riscos e dificuldades que podem ser melhor compreendidos pelo uso da teoria da agência. Assim, este estudo, por meio de um ensaio teórico, tem como objetivo propor ações capazes de minorar os problemas concebidos em relacionamentos de terceirização de tecnologia da informação, principalmente aqueles relativos ao problema de agência. Utilizou-se a teoria da agência para propor um modelo teórico com mecanismos de mitigação de riscos relacionados a conflitos de interesses, assimetria de informações, custos de agência e práticas de oportunismo em processos de contratação e gerenciamento de serviços terceirizados de TI. 


Palavras-chave


Terceirização de TI; Teoria da agência; Mitigação de riscos.

Texto completo:

PDF

Referências


Arruda, G.S., Madruga, S.R., & Freitas Jr., N.I. (2009). A Governança Corporativa e a Teoria da Agência em Consonância com a Controladoria. Revista de Administração da UFSM, 1, 71-84, jan./abr.

Barros, J. G. B. R. (2008). O papel da terceirização na informática do INES. 2008, 63 f. Monografia (Especialista em Gestão Pública) – Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro.

Bendickson, J., Muldoon, J., Liguori, E., & Davis, P.E. (2016). Agency theory: the times, they are a-changin. Management Decision, 54 (1), 174-193, February.

Bergamaschi, S. (2005). Modelos de gestão da terceirização de tecnologia da informação: um estudo exploratório. 2005, 197 f. Tese (Doutor em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

Bitti, E. J. S. (2015). O Setor de Franchising no Brasil: Identificando Grupos Estratégicos pela Ótica da Teoria da Agência e pela Visão de Recursos Escassos. Organizações em contexto, 11 (22).

Braga, G. S., Horbucz, K. S. N., & Cherobim, A. P. M. S. (2015). Influência do investimento anjo na tomada de decisão e nos problemas de agência: um estudo de caso. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 4 (1).

Cristofoli, F., Prado, E. P. V., & Takaoka, H. (2008). Sourcing de serviços de TI: um estudo de caso do setor automobilístico brasileiro. In: SEMEAD, 10. 2008, São Paulo. Anais… São Paulo.

Cristofoli, F., & Prado, E. P. V. (2011). Terceirização de Serviços de Tecnologia da Informação. Rev. Elet. Gestão e Serviços. 2 (2).

Eisenhardt, K. M (1989). Agency theory: An assessment and review. Academy of management review, 14 (1), 57-74.

Ensslin, L., Mussi, C., Chaves, L. C., & Demetrio, S. N. (2015). It outsourcing management: the state of the art recognition by a constructivist research process and bibliometric system. Journal of Information Systems and Technology Management, 12 (2), 371-392, May/Aug.

Fitoussi, D., & Gurbaxani, V. (2012). IT Outsourcing Contracts and Performance Measurement. Information Systems Research, Irvine, 23 (1), 129-143.

Foina, P. R. (2012). Tecnologia de informação, planejamento e gestão. 2. ed. São Paulo: Atlas.

Foina, P. R., & Lima, P. de S (2014). Processos de gestão de terceirização em Tecnologia da Informação: estudo de caso. Universitas Gestão e TI, Brasília, 4 (2), 51-57, jul./dez.

Kearney, A. T. (2017). Global Service Location On the even of the disruption. Disponível em: . Acesso em: Fev. 2018.

Giovanela, A., & Haerthel, S. M. (2008). Terceirização: vantagens e desvantagens. Percepção dos colaboradores e gestores na empresa de tecnologia de informação (TI). Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, 3 (4), 488-511.

Gomes, G. S. (2014). Análise de projetos terceirizados de ti sob a ótica das teorias da agência e de desenvolvimento de grupos. 2014, 138 f. Dissertação (Mestrado em administração) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Gonçalves, A. de P., Polo, E. F., Correa, H. L., & Castelhano Bruno, M. A (2010). Estratégia de terceirização de sistemas de informação e de alinhamento estratégico entre negócios e TI. Gestão & Regionalidade, 6 (77) - mai-ago.

Gorla, N., Somers, T. M. (2014). The impact of IT outsourcing on information systems success. Information & Management, 51(3), 320-335, April.

Heracleous, L., & Lan, L. L. (2012). Agency Theory, Institutional Sensitivity, and Inductive Reasoning: Towards a Legal Perspective. Journal of Management Studies, 49 (1), 223-239.

Gens, F., SVP & Chief Analyst (2017). IDC FutureScape: Worldwide IT industry 2018 Predictions. Disponível em: . Acesso em: Fev. 2018.

Jensen, M. C., & Meckling, W.H. (1976) Theory of Firm: Managerial Behavior. Agency Costs and Ownership Structure. Journal of Financial Economics, Rochester, 3, 305-360, Jul.

Jensen, Michel C., & Meckling, W. H. (1994). Foundations of organizational strategy. Journal of Applied Corporate Finance, 7 (2), 4-19.

Kaveski, I. D. S., & Cunha, P. R. (2016). Fatores Determinantes dos Honorários da Auditoria das Empresas Listadas no Novo Mercado da BM&F BOVESPA. Contabilidade, Gestão e Governança, 19 (1), 49-63.

Kim, Y. J., Lee, J. M., Koo, C., & Nam, K. (2013). The role of governance effectiveness in explaining IT outsourcing performance. International Journal of Information Management, 33 (5), 850-860.

Klann, R. C., Gomes, E. C. O., Greuel, M. A., & Bezerra, F. A. (2014). Influência do Risco Moral e da Accountability nas tomadas de decisões. Contabilidade Vista & Revista, 25 (1), 99-118.

Lee, J. N., & Choi, B. (2011). Effects of initial and ongoing trust in IT outsourcing: A bilateral perspective. Information & Management, 48, 96-105.

Liang, H., Wang, J. J., Xue, Y., & Cui, X. (2016). IT outsourcing research from 1992 to 2013: A literature review based on main path analysis. Information & Management, 53 (2), p.227-251.

Linder, S., & Foss, N. J. (2015). Agency Theory. International Encyclopedia of the Social & Behavioral Sciences, v. 1.

Lopes, A. L. S. V., & Silva, J. R. G. (2008). Casos de terceirização e a influência sobre o contrato psicológico de profissionais de TI. Revista eletrônica de Gestão Organizacional, 6, 249-270.

Luciano, E. M., & Testa, M. G. (2011). Controles de governança de tecnologia da informação para a terceirização de processos de negócio: uma proposta a partir do cobit. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, 8, 237-262.

Luciano, E. M., Testa, M. G., Pilatti, L., & Rech, I. (2010) Aplicabilidade do COBIT na gestão de atividades de tecnologia da informação terceirizadas: uma investigação com base em duas empresas multinacionais. Revista Eletrônica de Sistemas de Informação, v. 9.

Machado, D. Q., Garcia, E. A. R., Oliveira, M. C., & Marques, E. C. O. (2015). O Caso Barings: as Lições foram Aprendidas?. Revista Alcance, 22 (2), 316-329.

Mann, A., Folch, D. C., Kauffman, R. J., & Anselin, L. (2015). Spatial and temporal trends in information technology outsourcing. Applied Geography, 63, 192-203, September.

Meneghetti, F. K. O que é um Ensaio-Teórico? Revista de Administração Contemporânea, 15 (2), 320-332, mar./abr.

Mercado Brasileiro de Software: Panorama E Tendências- 1ª. ed. - São Paulo: ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software, 2016.

Mitchell, R., & Meacheam, D. (2011). Knowledgment worker control: understanding via principal and agency theory. The Learning Organization, Newcastle, 149-160. jun.

Mol, M. J. (2007). Outsourcing: design, process and performance. United Kingdom: Cambridge UniversityExpress.

Moraes, C. Z. (2015). Governança Corporativa: Uma Visão Sob a Teoria da Agência. Revista de ciências gerenciais, 19 (30), 34-40.

Moura, F. V., Daniel, A. F., Gomes, J. N., Pereira, J. J. (2014). Conflitos de Agência, Legitimidade e o discurso sobre Governança Corporativa: o caso Petrobras. In: XI Congresso USP Iniciação cientifica contabilidade, 2014, São Paulo: USP, 2014.

Ndubisi, N. O. (2011). Conflict handling, trust and commitment in outsourcing relationship: A Chinese and Indian study. Industrial Marketing Management, 40 (1), 109-117.

Perunovic, Z., & Pedersen, J. (2007). Outsourcing Process and Theories. In: annual conference of the production and operation management SOCIETY, 18. Proceedings. Dallas: 2007. Disponível em: https://www.pomsmeetings.org/confpapers/007/007-0003.pdf. Acesso em 22 jun. 2016.

Prado, E. P. V. (2009). Terceirização de serviço de TIC: uma avaliação sob o ponto de Vista do fornecedor. REAd Revista Eletrônica de Administração, 15.

Qi, C., & Chau, P. Y.K. (2012). Relationship, contract and IT outsourcing success: Evidence from two descriptive case studies. Decision Support Systems, 53(4), 859-869.

Rocha, I., Pereira, A. M., Bezerra, F. A., & Nascimento, S. (2012). Análise da produção científica sobre teoria da agência e assimetria da informação. REGE São Paulo – SP, Brasil, 19 (2), 327-340.

Rodrigues , A. A. D. O. N. (2013). Uma análise comparativa entre a Teoria da Agência e a Stewardship. Revista Fafibe Online, 6, 67-77.

Saito,R., & Silveira, A. M. (2008). Governança corporativa: custos de agência e estrutura de propriedade. Revista de administração de empresas, 48, 79-86.

Samantra, C., Datta, S., & Mahapatra, S. S. (2014). Risk assessment in IT outsourcing using fuzzy decision-making approach: An Indian perspective. Expert Systems With Applications, 41 (8), 4010-4022.

Sanchez, O., Martins, Á. L. M. (2013). Percepção de valor nos anúncios de terceirização de infraestrutura de TI: Um estudo de eventos com empresas brasileiras. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 10, 154-168.

Santana, V. A. S., & Bergamaschi, M. P. (2012). Outsourcing de TI: Motivos e riscos de terceirizar serviços de TI. Revista Ceciliana, 33, 124-133.

Santos, M. M., Inácio, H. C., & Vieira, E. S. (2015). Governo das Sociedades e a Opinião do Auditor: Evidência Portuguesa (2008-2011). Revista Universo Contábil, 11 (3), 150-168.

Schwarz, C. (2014). Toward an understanding of the nature and conceptualization of outsourcing success. Information & Management, 51, 152-164.

Susarla, A., & Barua, A. (2011). Contracting efficiency and new firm survival in markets enabled by information technology. Information Systems Research, 22 (92), 306-324.

Terribili Filho, A. (2014). Outsourcing: histórico, benefícios, riscos e abordagem metodológica de Greaver II. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2016.

Thouin, Mark F., Hoffman, J. J., & Ford, E. W. (2009). IT outsourcing and firm-level performance: A transaction cost perspective. Information & Management, 46 (8), 463-469.

Tiwana, A., & Bush, A. A. (2007). A comparison of transaction cost, agency, and knowledge-based predictors of IT outsourcing decisions: A US-Japan cross-cultural field study. Journal of Management Information Systems, 24 (1), 259-300.

Vieira, C. H. G., Diogenes, M. C. C., Santos, V. S., Oliveira, E. A. A. Q., & Quintairos, P. C. R. (2008). Terceirização do setor de ti: quais serviços terceirizar e porquê. In: XII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VIII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, 2008, São Paulo: Universidade do Vale do Paraíba. Disponível em: < http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2008/anais/arquivosEPG/EPG00194_02_O.pdf>. Acesso em: 21 jun. 2016.

Zu, X., & kaynak, H. (2012). An agency theory perspective on supply chain quality management. International Journal of Operations & Production Management, 32, 423-446.




DOI: https://doi.org/10.20397/2177-6652/2019.v19i1.1310

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Gestão & Tecnologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.